quarta-feira, 6 de agosto de 2008

D. Luiza e sua memória



E lá estava eu na rodoviária de São Joaquim da Barra, só quem mora aqui ou já desembarcou nesse lugar sabe o que isso significa, é a rodoviária mais precária e feia que já vi, ela assusta quem chega pela primeira vez, mas segundo as autoridades vigentes, está com os dias contados...preciso urgente agendar uma sessão de fotos com essa "Senhora Rodoviária".
Enquanto espero o ônibus uma senhora, parecia bem idosa, mas aprendi que a vida pode castigar tanto, que as pessoas podem envelhecer 20 anos ou mais na aparência, ela senta-se ao meu lado:
_ Pra onde você vai?
_ Vou pra Ituverava.
_ Eu vou pra "Miguelópis" (Miguelópolis). Vim pra cá "antonte" visitá minha filha que mora aqui, mas tenho que voltar por causa do meu cachorrinho, ele deve estar com fome (com certeza). Quantos anos você tem?
_ Tenho trinta e sete.
_ Você é muito nova...
_E a senhora quanto tem?
_Oitenta, e cinco meses.
Embarquei, e não resisti e sentei ao seu lado...
_ Quando eu tinha doze anos um moço queria que eu fugisse com ele, eu falei pra ele que eu era muito nova, quando eu fiz treze e quatro meses eu conheci outro moço, com ele não teve jeito, então eu casei quando eu tinha quatorze e seis meses...
Tinha que ser comigo essa conversa, não consigo lembrar nem o ano que as coisas mais importantes da minha vida aconteceram...
_Minha madrinha era do Rio...eu fiquei com ela até o dois anos de idade, depois meu pai foi me buscar...ela me deu duas galinhas e um porco...ela gostava de mim...
Ela pensava alto, eu apenas sorria e balançava a cabeça...






Um comentário:

disse...

de boca aberta... vc sentou do lado da veia? sozinha? por opcao?
num kirdito!
ta escrevendo muuuuuuuuuuito bem...
finalmente um lugar pra reunir todas as suas teorias
mto bom poder "te ler" :)
bju
saudades